← Voltar

Oi, eu sou o Jefferson Rocha


Foto do Jefferson Rocha, Slackjeff com um charuto na boca aceso. Bom agora que você já sabe meu nome terei que te haskiar, mas não se preocupe estou agora mesmo analisando o tráfico do meu site e pegando o seu ip :(
Chega de zueira e vou me apresentar de uma vez, sou conhecido na Web como Slackjeff, um apelido diferente não? Por que alguém teria um apelido desse? bom eu vou explicar, este carinhoso apelido foi dado por um amigo gringo Slackuser na rede IRC freenode #Slackware.
Mas por que SlackJeff? bom eu fazia muitas e muitas perguntas no canal, parecia um detetive e minhas perguntas eram extremamente preguiçosas, as vezes eu tinha preguiça de digitar a frase toda e ficava nítido isso, chegava a ser zueiro. Um dia um usuário da rede falou 'Heeey SLACKjeff Stop this sloth!'
A brincadeira pegou e permanece até hoje, por alguns motivos as pessoas ainda me chamam de Slack'a'Jeffi, #euein!
Para os preocupados! hoje eu mais ajudo que pergunto, e quando pergunto as frases são calorosas, sadias e coradas.

Bom, já me disseram que eu sou diferente, e o pior que eu sei disso. Eu não sou muito chegado a celular e não utilizo vai fazer quase 3 anos, não vejo nenhum motivo e circunstância de uma pessoa ficar vidrado em um aparelho tão chato como um smartphone, a humanidade está desevoluindo grudadas em seus cabos de energia USB onde a única preocupação é a tomada mais perta. Dá lincença.
Eu adoro não escrever, sou mais ligado a tudo que envolva vídeo e audio, mas por algum motivo passei a escrever mais nos últimos tempos, isso se dá o motivo de eu quase fechar um livro físico com uma editora bem conhecida. Qual seria o tema? 50 tons de vermelho, seria um Guia do Slackware. Um dia talvez será lançado quando o meu tempo me permitir e a vontade também.

Sou extremamente fã e tenho uma queda por sites do final dos anos 90 e inicio dos anos 2000, sei lá era tudo tão simples, não era tão elaborado o ambiente a casa onde a pessoa te oferecia mas tinhamos mais conteúdo que hoje. Hoje em dia o que vale é o 'Design' que o próprio conteúdo em si, é raro encontrar artigos bons, artigos de hoje em dia são meia boca e não passam de 50 linhas, mas o que importa? afinal o design do site é bonito e responsivo... faixfavor!
Já que comentei de artigo, eu gosto também de texto plano, ou plain text para os mais chegados, é mais leve e roda até em geladeira, vamos concordar .txz roda em qualquer coisa do mundo.
Um artigo em texto puro é bom para imprimir! se bem identado parece até um livro, vai por mim.

Bom, agora que você sabe mais sobre mim, realmente terei que te haskiar.

Qual o meu laço com GNU/Linux?

Em 18 de agosto de 2005 após uma obrigação de um dos meu chefes no trabalho, passei a ter que mexer com um sistema Chamado Debian, achei algo muito estranho, não tinha interface gráfica, era apenas uma tela preta com letras em branco acinzentado e um treco ou barra '|' piscando na tela, do lado de um Cifrão '$' ou uma tralha '#', isso dependia quando eu botava uma senha ou não. Achei aquilo muito estranho, porem fui me acostumando com o passar do tempo.

No final de 2007 resolvi instalar uma distribuição Linux em meu computador pessoal, passei a usar uma distribuição chamada Kurumin NG, era uma distribuição bem elegante para sua época, completa e bem legal de se usar, com a falência da distribuição Kurumin Ng, acabei por me interessar e pesquisar por uma nova distribuição, acabei por ouvir muitos boatos em fóruns de um sistema operacional beeeem, mas bem desafiador, onde o usuário precisava compilar e empacotar seus próprios pacotes, o sistema em si não resolvia dependencias, ou seja o usuário tinha que fazer todo o processo. O nome? Slackware, por ser tão desafiador resolvi instalar em minha máquina e não foi que eu gostei! hoje completa quase 10 anos que utilizo o Slackware como distribuição principal, e aquele moleque bobo atrás de desafios hoje domina o sistema Slackware, bom pelo menos 'As vezes'.

Após essa longa jornada eu acabei por me apaixonar cada vez mais pela Filosofia em si, hoje eu posso me considerar alguém LIVRE, que sabe como um sistema funciona, que ama o que faz e está sempre em busca de desafios neste mundo muito nerd. Com o passar dos anos acabei por me apaixonar também por programação, por uma linguagem bem especifica, uma linguagem de script chamada Shell, já completei mais de 1000 programinhas ao longo da jornada, bom eles estão perdidos pelos fóruns e por esse mar de bits, mas alguns você pode conferir no meu Notabug, sinta-se a vontade.

la casa del profesor

No final de 2017 resolvi me aventurar ensinando as pessoas a programar em Shell de uma maneira mais profissional e seguindo alguns padrões para terem mais sucesso em seus programas. Inicialmente eu já vinha oference aulas EAD para alunos particulares e consegui um grande apoio do Professor Juliano Ramos do Certificações Net.br que me abriu as portas para ministrar Cursos de programação em Shell Script.
Recentemente tive as portas abertas também na Linux Force para ministrar um curso de Programação em Shell Script.
E acho que não tem jeito! eu gosto de ensinar e estou caindo de cabeça!

Alguns Projetos

Distribuições/Sistemas Favoritos

Já foi o tempo que eu testava as distribuições, hoje eu sou mais calmo em relação, me preservo ao máximo com uma única distribuição.
Após esses anos com praticamente somente um sistema posso me considerar um usuário de Slackware talvez, dificilmente o trocarei, se um dia esse belo projeto que atravessa gerações acabar? bom o sistema FreeBSD me espera.

Linguagens

Abaixo as linguagens que eu mais me adaptei e utilizo.
html5 e css3 estão inclusos, sei que linguagem de marcação e estilo não é uma linguagem de programação, mas eu adoro brincar também, gosto de criar sites estáticos e abusar de uma boa semântica... Por isto está incluso em minha lista.

"Um bom hacker ensina e não guarda nada somente para si! Guardar sabedoria é ser egoísta consigo mesmo."